English | Português
Acção JM > 17,275 0,26 % 28-06-2017, 16:35 GMT+1

Fornecedores Locais

Em caso de igualdade de condições oferecidas, damos preferência a relações duradouras com fornecedores locais.

No Grupo Jerónimo Martins, através das suas Companhias de Distribuição, optamos, preferencialmente e em circunstâncias de igualdade de condições comerciais, por fornecedores locais com vista a potenciar a sustentabilidade socioeconómica das geografias onde operamos e a minimizar a pegada de carbono dos produtos comercializados.

Trabalhamos com os nossos fornecedores dando-lhes apoio técnico e ajudando-os nos processos de distribuição.

O recurso à importação verifica-se essencialmente nos seguintes casos:

  • escassez de produto por motivos de sazonalidade na produção, comum na área de fruta e vegetais;
  • quando não existe produção a nível nacional ou esta não tem volume suficiente para garantir o abastecimento das lojas das cadeias;
  • quando a relação qualidade-preço dos produtos nacionais não permite que seja cumprido o compromisso de qualidade ao melhor preço que o Grupo mantém com os consumidores.

FORNECEDORES LOCAIS NAS COMPRAS DO GRUPO

Em Portugal, 84% dos produtos comercializados foram adquiridos a fornecedores locais. Na Polónia, este rácio fixou-se em 92% e na Colômbia em mais de 95%, cumprindo-se o objectivo de garantir a compra anual a fornecedores nacionais de, no mínimo, 80% dos produtos alimentares.

Junto dos consumidores, as Companhias do Grupo realizam acções de sensibilização promovendo a preferência por comprar produtos de origem local.

Em Portugal, os produtos nacionais encontram-se identificados com as etiquetas "O Melhor de Portugal Está Aqui", nos Perecíveis, e "Produzido em Portugal" e "Fruta 100% Portuguesa", nos produtos de Marca Própria.

Na Polónia, os produtos de origem nacional são identificados com a etiqueta "Polski Produkt" (Produto Polaco) ou com a etiqueta "#jedzcopolskie" (Coma o que é Polaco).

Neste último caso, focado em fruta e vegetais, a Biedronka manteve o website www.jedzcopolskie.biedronka.pl para a promoção destes produtos, partilha de informação sobre os fornecedores locais e receitas. Adicionalmente, alguns produtos foram marcados com o hashtag "#jedzcopolskie" tendo vários clientes colocado mais de 300 fotografias dos seus produtos preferidos no Instagram.

Na Polónia, foi realizada uma campanha de meios - em televisão e rádio - e através de folhetos e cartazes nas lojas da Biedronka para promover o consumo de tomate malinowe (tomate framboesa), um produto nacional.

Na Colômbia, os produtos de origem nacional são marcados com as etiquetas "Hecho en Colombia" (Feito na Colômbia) e "Una Marca de Ara" (Uma Marca Ara).

Em 2016, o Pingo Doce manteve a medida extraordinária de apoio aos produtores portugueses de produtos frescos com os quais trabalha e que são membros da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Esta medida consiste na antecipação para uma média de 10 dias (em vez dos 30 dias previstos na lei), e sem custos financeiros para o produtor, do prazo de pagamento praticado pelo Pingo Doce.

Desde a sua implementação em 2012, já beneficiaram desta iniciativa cerca de 500 produtores oriundos do sector primário, designadamente produtores de fruta, legumes, carne, peixe, charcutaria e vinhos.


FRESCOS E MARCA PRÓPRIA

No que respeita a Marca Própria, a maioria dos produtos foi adquirida a fornecedores locais, dos quais mais de 95% na Colômbia, 93% na Polónia e entre 59% (Pingo Doce) e 65% (Recheio) em Portugal.

Na área de Frescos, verifica-se a mesma tendência, com 69% dos produtos em Portugal a serem adquiridos a fornecedores locais, enquanto na Polónia este valor ascende aos 88%. Na Colômbia, este rácio é superior a 95%.